Portal de Investimentos

Previdência

Previdência

Dúvidas frequentes

Tire suas dúvidas sobre os temas abordados no Portal de Investimentos do Santander.

Buscar em...

Nenhum resultado foi encontrado

Fundos

Quais são as vantagens de aplicar em fundos de investimento?

Montar uma carteira individual de investimentos fica, muitas vezes, caro demais para um único investidor. Por reunirem recursos de vários aplicadores, os fundos detêm maior poder de compra e podem investir em vários ativos financeiros, possibilitando a diversificação do portfólio dos investidores. Além disso, saber o que comprar no momento certo é tarefa que demanda tempo e experiência. Por isso, os aplicadores contam com o trabalho de gestores especializados na administração de recursos para a gestão da carteira dos fundos.

Como se caracteriza a aplicação em fundos?

Um fundo de investimento é um condomínio que reúne recursos de um conjunto de investidores (cotistas), com interesses e necessidades semelhantes, com o objetivo de obter ganhos financeiros a partir de uma carteira de títulos e valores mobiliários.

Ao investir em um fundo de investimento, você adquire cotas que representam individualmente uma fração do mesmo. O valor destas cotas evolui de acordo com o desempenho dos papéis que compõem a carteira do fundo. Cada cota representa os direitos e as obrigações do investidor, de acordo com o previsto no regulamento do fundo.

Com este tipo de aplicação, os investidores têm acesso a melhores condições de mercado, menores custos e contam com a administração profissional de seus recursos.

Quais são os tipos de fundos disponíveis para aplicação?

Com diferentes graus de risco, você tem à disposição diversas opções para atender seus objetivos, horizonte de investimento e grau de tolerância a risco.

A CVM Comissão de Valores Mobiliários divide os fundos da indústria em sete grandes classes:

  • Fundos Curto Prazo
  • Fundos Referenciado
  • Fundos Renda Fixa
  • Fundos Multimercado
  • Fundos de Ações
  • Fundos Cambiais
  • Fundos Dívida Externa

Cada fundo possui política de investimento e composição de carteira que variam das mais conservadoras às mais arrojadas.

Para conhecer os fundos do Santander pertencentes a cada uma das classes descritas acima, clique aqui.

Como escolher o fundo que melhor atenda às minhas necessidades?

Para ajudá-lo a definir o fundo que melhor atende às suas necessidades, no Santander você tem à disposição o Orientador de Investimentos.

Esta ferramenta foi desenvolvida com o objetivo de facilitar a compreensão dos elementos indispensáveis à condução de um processo de investimentos bem-sucedido. Dessa forma, é essencial compreender que o poupador ocupa o centro da cena, sendo responsável por definir seus objetivos e sonhos, os quais, levando-se em consideração os recursos disponíveis e as limitações particulares de cada aplicador, serão perseguidos pelos investimentos. A abordagem desse tema é feita de maneira estruturada e sistemática para aumentar a probabilidade de que o processo de investimento seja conduzido de forma a atingir os objetivos traçados.

Diferentemente do que é disponibilizado com frequência aos investidores, não nos contentaremos em analisar apenas o perfil de risco do aplicador. O patrimônio do investidor tem vários inimigos naturais - inflação, impostos, etc - mas nenhum deles é mais cruel que a falta de informação. Recursos que não são alvo de um processo de investimentos bem estruturado são um risco que o investidor não pode se dar ao luxo de correr. Ao contrário do que a maioria imagina, definir e conduzir o processo de investimentos não é complicado. É algo interessante e pode trazer uma contribuição relevante para a qualidade de vida futura. Com o Orientador, temos por objetivo solucionar dúvidas freqüentes e tornar suas decisões de investimentos mais claras e intuitivas.

Como eu posso movimentar e consultar meus fundos de investimento no Santander?

A movimentação e a consulta dos fundos podem ser realizada por meio do Santander Internet Banking, Central de Atendimento Santander da Superlinha ou diretamente na Agência.

Ainda não é cadastrado no Santander Internet Banking? Cadastre-se já e aplique agora!

É possível realizar programação de aplicações em fundos?

A inclusão da programação em fundos pode ser realizada pelo Santander Internet Banking, Central de Atendimento Santander Superlinha, Internet Banking ou através de sua Agência. Tudo isto com muita facilidade e praticidade.

Ainda não é cadastrado no Santander Internet Banking? Cadastre-se já e aplique agora!

Qual é a tributação aplicável para os Fundos de Investimento?

Os Fundos de Investimento estão sujeitos à incidência de Imposto de Renda e IOF, conforme descrito abaixo:

1. Recolhimento de Imposto de Renda Semestral (come cotas)*

Os rendimentos obtidos nos Fundos de Investimento estão sujeitos à incidência de IR semestral nos meses de maio e novembro de cada ano (conhecido como "come cotas"), considerando as alíquotas abaixo.

*Fundos de ações e fundos fechados (que não admitem resgate durante seu prazo de duração) não estão sujeitos a come cotas.

Alíquotas de Imposto de Renda

  • 15% - Fundos classificados como Longo Prazo
  • 20% - Fundos classificados como Curto Prazo

Além do recolhimento semestral, os investimentos em Fundos estão sujeitos ao recolhimento de Imposto de Renda no momento do resgate, respeitando as alíquotas indicadas nas tabelas abaixo.

Fundos de Investimento Curto Prazo (prazo médio dos títulos que compõem a carteira dos fundos inferior a 365 dias):

Prazo da Aplicação (Dias) Alíquota Recolhida Semestralmente Alíquota Complementar Alíquota Total*
Até 180 20% 2,5% 22,5%
Acima de 180 20% 0% 20%

* A alíquota total refere-se ao somatório da tributação semestral de 20% mais a alíquota complementar referida no quadro acima

Fundos de Investimento Longo Prazo (prazo médio dos títulos que compõem a carteira superior a 365 dias):

Prazo da Aplicação (Dias) Alíquota Recolhida Semestralmente Alíquota Complementar Alíquota Total*
Até 180 15% 7,5% 22,5%
De 181 a 360 15% 5% 20%
De 361 a 720 15% 2,5% 17,5%
Acima de 720 15% 0% 15%

* A alíquota total refere-se ao somatório da tributação semestral de 15% mais a alíquota complementar referida no quadro acima

Fundos de Ações:
Os rendimentos serão tributados, exclusivamente por ocasião do resgate das cotas, à alíquota de 15%.


2. IOF
Além do Imposto de Renda, para os resgates ocorridos nos primeiros 30 dias a contar da data da aplicação, há cobrança de IOF sobre o rendimento da aplicação de acordo com a tabela decrescente.

Dias IOF Dias IOF
96% 16º 46%
93% 17º 43%
90% 18º 40%
86% 19º 36%
83% 20º 33%
80% 21º 30%
76% 22º 26%
73% 23º 23%
70% 24º 20%
10º 66% 25º 16%
11º 63% 26º 13%
12º 60% 27º 10%
13º 56% 28º 6%
14º 53% 29º 3%
15º 50% 30º 0%

Importante: os fundos de ações não sofrem incidência do IOF.

Como funciona a compensação de Imposto de Renda entre fundos?

A Receita Federal, por meio da Medida Provisória 16 de 27/12/2001 e da Instrução Normativa 119 de 10/01/2002, determinou que os prejuízos em fundos de investimento poderão ser compensados no Imposto de Renda a pagar nos próximos rendimentos. A instrução não é obrigatória e vale para rendimentos do mesmo fundo ou de fundos diferentes, desde que tenham a mesma alíquota de IR e que sejam administrados pela mesma instituição.

É importante ressaltar que as oscilações nas cotas dos fundos não constituem perda para o cliente. O prejuízo é caracterizado quando o valor resgatado for menor que o valor da cota de aplicação ou do último recolhimento do Imposto de Renda. Vale o que for mais recente.

Além disso, a compensação é automática. O valor das perdas apuradas será armazenado automaticamente pelo sistema, registrando-se por CPF / CNPJ.

Como calcular: quando houver resgate com rendimento positivo ou no momento da cobrança de Imposto de Renda semestral, o IR será cobrado tendo como base de cálculo o rendimento do período menos as perdas acumuladas, gerando, dessa forma, uma base menor para tributação.

CDB

Quais são as modalidades de CDB oferecidas pelo Banco Santander?

Oferecemos sete modalidades de CDB: CDB Recompensa, CDB Recompensa Mais, CDB Recompensa Fácil, CDB DI, CDB Pré e CDB Cristal DI.

Qual a diferença entre o CDB pré-fixado e o CDB pós-fixado?

No CDB Pré-Fixado, o cliente já sabe quanto vai receber no vencimento do título, pois o percentual de remuneração é definido no fechamento da aplicação. Nos CDBs pós-fixados (CDB DI, CDB Cristal DI, CDB Recompensa e CDB Recompensa Fácil), a remuneração do título é composta por um percentual do CDI, porém não é possível saber o valor futuro deste índice ou informar o valor que será resgatado no seu vencimento. Outra diferença importante é que o CDB Pré-fixado é indicado apenas para clientes que irão manter seus recursos investidos até o vencimento, pois resgates antecipados poderão acarretar perdas. O CDB pós-fixado não possui nenhuma restrição em relação a resgates antecipados.

Como funciona a tributação do CDB?

Funciona da seguinte forma:

1. Imposto de Renda
Os clientes que investem em CDB poderão ser beneficiados com uma alíquota menor de IR sobre o rendimento auferido, dependendo do prazo da aplicação e/ou resgate. Veja a tabela abaixo:

Prazo de Aplicação Alíquota de IR
Até 180 dias 22,5%
De 181 dias até 360 dias 20,0%
De 361 dias até 720 dias 17,5%
Acima de 721 dias 15,0%

No CDB, o Imposto de Renda é cobrado apenas no resgate ou no vencimento do título.

2. IOF
Este imposto incide sobre os títulos de renda fixa com liquidez diária, mediante uma tabela válida para todo o mercado. Quanto mais tempo o dinheiro fica aplicado, menor a incidência. E, a partir do trigésimo dia, a aplicação fica totalmente isenta da cobrança conforme tabela abaixo:

Dias IOF Dias IOF Dias IOF Dias IOF Dias IOF Dias IOF
96% 80% 11º 63% 16º 46% 21º 30% 26º 13%
93% 76% 12º 60% 17º 43% 22º 26% 27º 10%
90% 73% 13º 56% 18º 40% 23º 23% 28º 6%
86% 70% 14º 53% 19º 36% 24º 20% 29º 3%
83% 10º 66% 15º 50% 20º 33% 25º 16% 30º 0%

Quais os prazos mínimo e máximo de emissão para cada modalidade de CDB?

Os prazos para emissão são os seguintes:

PRODUTOS Emissão mínima Emissão máxima
CDB RECOMPENSA 4 anos
CDB RECOMPENSA FÁCIL 4 anos
CDB DI 1 dia 4 anos
CDB PRE 30 dias 1 ano
CDB CRISTAL DI 1 dia 4 anos
O CDB possui alguma garantia adicional?

O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) garante até R$ 250.000,00 do total de créditos elegíveis* contra o Santander e instituições do mesmo conglomerado financeiro. A garantia é concedida por CPF/CNPJ e, no caso de contas ou investimentos conjuntos, o valor é dividido entre correntistas ou investidores.

*A relação de créditos elegíveis com cobertura do FGC encontra-se no Anexo II, Art. 2º, da Resolução 4.222/13 do Conselho Monetário Nacional

Quais as modalidades de CDB que aceitam aplicações adicionais?

Não é possível realizar aplicações adicionais para um CDB já contratado, porém, é possível realizar uma nova aplicação a qualquer momento respeitando as características e taxas vigentes para cada modalidade.

O que acontece com o valor investido após o vencimento do CDB?

O valor investido mais os rendimentos líquidos de Imposto de Renda são creditados na Conta Corrente e poderá ser reaplicado a qualquer momento, respeitando as características e taxas vigentes do dia.

Quais modalidades de CDB podem ser resgatadas antecipadamente?

CDB DI, CDB Cristal DI, CDB Recompensa, CDB Recompensa Fácil e CDB Recompensa Mais, podem ser resgatados parcialmente a partir de R$ 100. No caso do CDB Pré-fixado, não são permitidos resgates parciais, apenas total. Mesmo assim não é indicado o resgate antecipado neste produto, uma vez que pode acarretar perdas para o investidor. Por este motivo, o CDB Pré Fixado é indicado apenas para clientes que manterão seus recursos investidos até o vencimento, onde será paga a remuneração contratada no momento da aplicação.

Porque não recebo mais as Notas de Operação de CDB?

Desde o dia 15 de Março as notas de operação de aplicação, resgate ou vencimento de CDB não são mais enviadas automaticamente via correio. Esta ação tem como objetivo reduzir a utilização de papel e a emissão de poluentes no transporte das notas impressas, reafirmando nosso compromisso com o meio ambiente e a sociedade. A consulta às operações poderá ser feita a qualquer momento através do Extrato, Internet, Superlinha, ou com um de nossos gerentes em qualquer agência. Caso seja necessária a utilização da Nota de Operação, entre em contato com seu gerente ou com a Superlinha para solicitar o envio.

Multi Poup

O que é o Multi Poup?

Multi Poup é uma excelente alternativa para o cliente que procura um investimento com a segurança da Poupança e flexibilidade nos resgates, garantidos ao longo de todo o período da aplicação.
Com o Multi Poup, após 30 dias da aplicação, você conta com rentabilidade diária, ou seja, não precisa se preocupar com o aniversário para ter rendimentos.

Você pode investir no Multi Poup com comodidade e segurança pelo Internet Banking. As aplicações, consultas e resgates podem ser feitas pelaSuper Linha ,pelo Internet Banking ou através de sua agência.

A quem se destina?

Destina-se a clientes PF (Pessoa Física) e PJ (Pessoa Jurídica) de todos os segmentos, que buscam um produto com a mesma segurança da Poupança, mas com liquidez e rentabilidade diárias*.

* rentabilidade diária a partir do 2º mês de investimento. Para resgates realizados antes de 1 mês não haverá rentabilidade.

Que movimentação é possível fazer pelo Internet Banking?

Pelo Internet Bankingé possível consultar posições, aplicar ou resgatar.Mas lembre-se que para ter rentabilidade  diária, você precisa  deixar o valor aplicado por pelo menos 30 dias. Se precisar resgatar antes desse prazo, você deve procurar sua agência.

Para quem está disponível este produto?

O Multi Poup está disponível para todos os correntistas do Banco Santander.

Como faço para contratar este produto?

Para contratar, basta entrar no item Investimentos / CDB, dentro do Internet Banking, selecionar Multi Poup e definir o valor da aplicação inicial. Em caso de dúvidas entre em contato com a Superlinha ou fale com seu gerente de relacionamento.

Esta aplicação tem tempo definido?

Sim, com o Multi Poup, seu dinheiro fica aplicado no mínimo um mês e no máximo dois anos.

Quais são as principais características do Multi Poup?
  • Rendimento bruto de TR + 8,2% a.a.1;
  • Rentabilidade e liquidez diárias, após um mês de aplicação;
  • Garantia de até R$ 60 mil por CPF/CNPJ2;  
  • Aplicações a partir de R$ 100,001.

1. Valor e taxa sujeita a alteração para novas aplicações. Em caso de mudanças, as mesmas serão informadas em nosso site. De acordo com o dia da aplicação, poderão ocorrer pequenas variações decimais no retorno anual.
2. Garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) de até R$ 60 mil por CPF/CNPJ, somando os valores de conta corrente (depósito a vista), poupança e depósitos a prazo.

É possível fazer uma aplicação adicional?

Não, mas para aplicar mais basta fazer um novo título, com um número diferente e uma nova data de vencimento.

O que acontece no vencimento?

O valor investido mais os rendimentos líquidos de Imposto de Renda são creditados na Conta Investimento e poderá ser reaplicado a qualquer momento, respeitando as características e taxas vigentes do dia.

Há pré-requisitos obrigatórios para aplicar no Multi Poup?

Para investir no Multi Poup, é preciso ser correntista do Santander e aplicar um mínimo de R$ 100,00.

Por quais canais é possível contratar este produto?

O Multi Poup pode ser contratado pela Superlinha, no Internet Banking ou em sua agência.

O que fazer em caso de dúvida?

Se tiver qualquer dúvida sobre o produto, entre em contato com a Assessoria de Investimentos da Superlinha ou com o seu gerente.

Poupança

O que é conta Poupança e como ela funciona?

A Poupança é um dos investimentos mais tradicionais, de fácil movimentação e baixo risco.

Para cada depósito efetuado em data diferente, é criada automaticamente uma nova subconta. Essas datas são referência para a remuneração mensal do investimento.

A abertura de apenas uma conta poupança permite ao cliente ter diferentes datas base, o que possibilita movimentações em qualquer dia.

Como ficou o rendimento da poupança com a nova regra?

Para os depósitos realizados a partir de 4/5/2012, a regra de rendimento é:

  • • SELIC maior do que 8,5% ao ano, o rendimento será de 0,5% ao mês + TR;
  • • SELIC igual ou menor do que 8,5% ao ano, o rendimento será de
    70% da SELIC + TR.
  • • Para os depósitos feitos até 3/5/2012, as condições permanecem inalteradas, ou seja, o rendimento permanece em 0,5% ao mês + TR.
O que é o Cartão Poupador?

É um cartão enviado para o poupador não-correntista, que permite o uso dos equipamentos de Auto-Atendimento do Banco Santander, acesso direto aos caixas nas agências para consultas de saldo, extrato, depósitos e saques, além de oferecer acesso ao Banco24Horas. O cartão Poupador também permite a realização de compras na função débito nos estabelecimentos comerciais credenciados à rede Maestro.

O Fundo Garantidor de crédito garante aplicações em Poupança?

O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) garante até R$ 250.000,00 do total de créditos elegíveis* contra o Santander e instituições do mesmo conglomerado financeiro. A garantia é concedida por CPF/CNPJ e, no caso de contas ou investimentos conjuntos, o valor é dividido entre correntistas ou investidores.

*A relação de créditos elegíveis com cobertura do FGC encontra-se no Anexo II, Art. 2º, da Resolução 4.222/13 do Conselho Monetário Nacional

Existe cobrança de Imposto de Renda na Poupança?

Para Pessoa Física, a Poupança é isenta de IR, já para Pessoa Jurídica o IR é de 22,5%.

É necessário ser correntista para aplicar na poupança do Banco Santander?

Não. É possível se tornar um poupador sem ser correntista. Como benefício, o cliente receberá o cartão Poupador para movimentações e consultas, além de contar com a função débito do Visa Electron.

O que acontece com as aplicações feitas nos dias 29, 30 e 31 de cada mês?

Nas contas abertas ou depósitos efetuados nos dias 29, 30 e 31, a data de aniversário passa a ser o primeiro dia do mês seguinte.

Qual o valor mínimo para a abertura de Poupança?

 Não há valor mínimo para abertura de conta no Banco Santander.

Como o cliente deve proceder se desejar fazer depósitos mensais em Poupança, sem correr o risco de se esquecer de aplicar?

Neste caso, o cliente deve optar pelo DPP – Depósito  Programado em Poupança, na qual pode escolher as datas e os valores para aplicação mensal automática.

Previdência

Qual o benefício fiscal oferecido pelos planos de Previdência Privada?

De acordo com a Lei 9532 de 1997, o benefício fiscal oferecido pelos planos de Previdência Privada é a possibilidade de abater, até o limite de 12% da renda bruta anual tributável, as contribuições efetuadas ao plano. Os valores que estão limitados a 12% da renda bruta anual tributável referem-se à soma de todas as contribuições que o participante faz a planos de diferentes entidades de Previdência Privada, inclusive as contribuições para o Fundo de Aposentadoria Programada Individual (FAPI). Outra possibilidade de usufruir do benefício fiscal é o participante assalariado abater suas contribuições mensalmente da base de cálculo do Imposto de Renda na folha de pagamento. Para isso, ele terá que negociar com a área de Recursos Humanos da sua empresa, apresentando mensalmente o comprovante de efetivação da contribuição para o devido abatimento. Com essa dedução, o participante terá uma base tributável menor e, conseqüentemente, um menor valor de imposto devido na declaração, ou uma elevação do IR a restituir. É importante ressaltar que os planos do tipo Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), não possuem esse benefício fiscal.

Como usufruir do benefício fiscal no preenchimento da declaração de Imposto de Renda?

No começo de cada ano civil, o Banco Santander. enviará a todos os participantes dos planos de previdência, o Extrato Anual. Nesse documento, constarão todas as contribuições realizadas no ano anterior. Para o participante usufruir do benefício fiscal, ele deve declarar o valor das contribuições, conforme o Extrato Anual, como "pagamento efetuado à Entidade Aberta de Previdência Complementar".

Para contribuições realizadas aos planos PGBL’s participante deve informar os seguintes dados:

  • Razão Social da Empresa: ZURICH SANTANDER BRASIL SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A. CNPJ da Empresa 87.376.109/0001-06
  • Se o participante tiver plano em outra entidade de Previdência Privada, mencionar nome e CNPJ da empresa

Para contribuições realizadas às entidades fechadas de Previdência Complementar (Fundo de Pensão):

  • Se houver contribuição, mencionar nome e CNPJ da entidade

É importante ressaltar que as contribuições destinadas aos planos VGBLs não são dedutíveis do Imposto de Renda, portanto, não aparecerão no Informe de Contribuição como informações complementares de Previdência Privada; assim como as contribuições destinadas às Coberturas de Pecúlio por Morte ou Invalidez, pois elas não são benefícios semelhantes aos Benefícios do Regime da Previdência Social, ou seja, não são pagos em forma de renda.

E quando as contribuições excederem 12% da renda bruta anual tributável, como elas devem ser declaradas?

O participante deve declarar o total das suas contribuições, independente do limite de dedução. Mas o cálculo deverá considerar como valor dedutível da base de cálculo para apuração do Imposto de Renda devido, o limite de 12% da renda bruta anual tributável. Caso as contribuições tenham excedido o limite de dedução, sugerimos que o cliente invista o que excedeu no plano VGBL ou em outros investimentos do BANCO SANTANDER.

O 13º salário entra no cômputo dos rendimentos tributáveis para cálculo do limite de 12%?

Não. Para o cômputo do limite de 12%, serão considerados os rendimentos tributáveis na fonte e sujeitos à compensação na declaração do Imposto de Renda, como, por exemplo, salário, aluguel etc. O 13º salário é tributado no mês de sua quitação, separadamente dos demais rendimentos recebidos no mês, ou seja, ele possui uma tributação exclusiva. Para que você possa deduzir a contribuição efetivada a um plano de Previdência Privada (exceto planos do tipo VGBL) da Base de Cálculo do Imposto de Renda do 13º salário, essa dedução deverá ocorrer no ato do recebimento do mesmo. Basta levar o recibo do pagamento à área de Recursos Humanos da sua empresa, que fará todo esse processo.

O participante pode deduzir as contribuições ao plano de Previdência Privada que ele fez, mas em nome de outra pessoa?

O participante pode abater as contribuições que realizou para o plano PGBL, desde que esse outro titular seja seu dependente econômico para fins de declaração de Imposto de Renda.

Em caso de declaração conjunta (com cônjuge) em que ambos têm planos de previdência do Santander, como declarar?

Se ambos têm rendimentos tributáveis, na declaração de Imposto de Renda devem ser relacionadas todas as contribuições que ambos efetuaram para os respectivos planos de previdência do Santander (idem para outros Planos Abertos, Fundos Fechados e FAPI). No cálculo será considerado como valor dedutível para o IR o valor das contribuições efetuadas por ambos para Previdência Privada e FAPI, limitado a 12% da renda bruta anual tributável (soma das rendas brutas tributáveis de ambos). E se qualquer um deles, ou ambos, tenham efetuado resgates no ano civil passado, estes deverão ser incluídos como rendimentos tributáveis pagos por Pessoa Jurídica.

Os resgates realizados pelo participante, que tiveram ou não tributação na fonte, devem constar na declaração do Imposto de Renda?

Sim, pois todo e qualquer valor resgatado é rendimento tributável. No começo de cada ano civil, ZURICH SANTANDER BRASIL SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A. enviará a todos os participantes dos planos de previdência um Informe de Rendimento. Nele, constará todos os resgates realizados ou benefícios recebidos por ele no ano anterior.

Para os planos PGBLs, nos resgates, poderá haver incidência de Imposto de Renda na fonte, sobre o valor total recebido. O mesmo aplica-se aos planos VGBLs, mas a tributação ocorre somente sobre a parcela de ganho de capital.

Se o participante já pagou IR na fonte, basta citar como valor já pago. Caso o valor resgatado ou o ganho de capital (para planos do tipo VGBL) tenha sido inferior ao limite de isenção mensal, deve ser somado aos rendimentos tributáveis na Declaração de Ajuste Anual, no ano do seu recebimento.

Informações necessárias: Para resgates realizados dos planos de previdência, o participante deve informar os seguintes dados:

1.a.) Nome do campo para declaração de quem optou pelo Regime de Tributação regressivo (exclusivo): Rendimentos Sujeitos a Tributação Exclusiva;

1.b.) Nome do campo para declaração de quem optou pelo regime de Tributação progressivo (antecipado): Rendimentos Tributáveis Recebidos por Pessoa Jurídica

Razão Social da Empresa: ZURICH SANTANDER BRASIL SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A. CNPJ da Empresa: 87.376.109/0001-06

Se os resgates são rendimentos tributáveis, eles também compõem a base de cálculo para cômputo dos 12%?

Sim. O limite de dedução é de 12% da renda bruta tributável anual, renda essa que inclui todos os rendimentos tributáveis, inclusive os resgates de planos de Previdência Privada. Os resgates aumentam o valor do limite que pode ser deduzido na base de cálculo para apuração do Imposto de Renda devido.

A Santander Seguros informa à Secretaria da Receita Federal os resgates efetuados nos planos de previdência PGBL e VGBL?

Sim. a ZURICH SANTANDER BRASIL SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A. informa à Secretaria da Receita Federal todos os resgates efetuados no ano civil anterior ao da declaração, independentemente se eles sofreram ou não incidência de Imposto de Renda na fonte.

Como os planos VGBL devem ser declarados?

O participante deve informar as aplicações feitas nos planos do tipo VGBL no campo "Declaração de Bens e Patrimônios" pelo seu valor nominal, ou seja, somente o total de contribuições realizadas pelo cliente, sem o acréscimo da rentabilidade. A ZURICH SANTANDER BRASIL SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A. envia estas informações no começo de cada ano civil, no Informe de Rendimentos. Informações necessárias:

Para contribuições realizadas dos planos VGBLs, o participante deve informar os seguintes dados:

Nome do campo para declaração: Declaração de Bens e Patrimônios Razão Social da Empresa: ZURICH SANTANDER BRASIL SEGUROS E PREVIDÊNCIA S.A.

CNPJ da Empresa: 87.376.109/0001-06

Se o participante efetuou resgate, deve declarar o ganho de capital relativo ao valor recebido da seguinte forma:

1.a.) Nome do campo para declaração de quem optou pelo Regime de Tributação regressivo (exclusivo): Rendimentos Sujeitos a Tributação Exclusiva;

1.b.) Nome do campo para declaração de quem optou pelo regime de Tributação progressivo (antecipado): Rendimentos Tributáveis Recebidos por Pessoa Jurídica

Os rendimentos oriundos de PLR ou Bônus entram no cômputo dos rendimentos tributáveis para o cálculo do limite de 12%?

Não. A partir de 2013, os valores recebidos a título de PLR e Programas Próprios de Gestão, abrangidos pela Lei 10.101/2000, não poderão mais ser somados ao total de rendimentos tributáveis no ano, sendo assim, este valor ficará de fora  no cômputo do limite de dedução de até 12% da renda bruta anual

 A tributação sobre o valor recebido será feita na fonte, pelo empregador, de acordo com o exemplo abaixo onde utilizamos a tabela de alíquotas vigente em 2013:

PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS TABELA DE TRIBUTAÇÃO EXCLUSIVA NA FONTE 

VALOR DO PLR ANUAL (EM R$)

ALÍQUOTA

PARCELA A DEDUZIR DO IR (EM R$)

DE 0,00 A 6.000,00

0,0%

-

DE 6.000,01 A 9.000,00

7,5%

450,00

DE 9.000,01 A 12.000,00

15,0%

1.125,00

DE 12.000,01 A 15.000,00

22,5%

2.025,00

ACIMA DE 15.000,00

27,5%

2.775,00

Ex1. Até R$ 6.000,00  -  valor integralmente, sem desconto.

Ex2. PLR Anual de R$ 10.000,00 -  valor líquido de R$ 9.625,00, onde:

PLR bruta anual de R$ 10.000,00

Alíquota de IR 15,0%

Valor de IR descontado R$ 375,00 = IR BRUTO R$ 1.500,00 – R$ 1.125,00 (parcela a deduzir)

PLR líquida anual de R$ 9.625,00

Para saber mais sobre a nova tabela acesse  www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/MPs/2012/mp597.htm.

Por isso, fique atento a esse novo cálculo na hora de fazer contribuições e aportes no seu Plano de Previdência PGBL. Vale destacar que as contribuições e aportes no plano VGBL não são afetadas pela nova regra, pois estes planos não apresentam incentivos fiscais.

Ações

Como posso me tornar um cliente da Corretora do Banco Santander?

Para se tornar cliente, basta você acessar o Cadastre-se . Lá você encontra todos os procedimentos necessários para se tornar um investidor da Corretora do Banco Santander.

Em quanto tempo o meu cadastro para compra e venda de ações é liberado?

Quando toda a documentação estiver em ordem, seu cadastro será efetuado em até sete dias úteis, contados a partir da recepção na Corretora. Neste caso, você será informado por e-mail ou correspondência. Caso haja alguma irregularidade com essa documentação, ela será devolvida à sua agência, que deverá tomar as medidas necessárias.

Sou menor de 18 anos. Posso operar com a corretora?

Se você é menor de 18 anos, ainda não pode operar no mercado de ações. Em caso de dúvidas, entre em contato com a Corretora do Banco Santander.

Como eu posso comprar e vender ações pela Corretora do Banco Santander?

O primeiro passo é se tornar cliente. Após esta etapa, basta entrar em contato com a Mesa de Operações para comprar e vender ações.

Qual o valor mínimo para investir?

O valor mínimo de operação, via Mesa de Operações, é de R$ 3 mil. Para operar pelo home broker, o valor mínimo é de R$ 50,00, desde que seja suficiente para comprar uma ação. Se você optou por um papel mais valorizado, o investimento mínimo é o valor de uma ação.

Quais são as taxas da corretora?

Clique aqui e confira as taxas.

O que fazer quando esquecer minha senha de acesso à Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC)?

Envie um e-mail para corretora.bolsas@santander.com.br informando seu código e explicando que esqueceu a senha. A CBLC vai emitir uma nova senha e encaminhá-la pelo correio. Mantenha sempre seu endereço atualizado na corretora.

Informações sobre os meus investimentos em ações irão constar no meu extrato consolidado do Banco Santander?

Não. A CBLC emite e envia mensalmente um extrato com a posição da sua carteira de investimentos. Por isso, não deixe de manter seu endereço sempre atualizado.

Como consultar a posição da minha carteira de investimentos?

Todo mês você receberá um extrato com a posição da sua carteira, enviado pela CBLC. Além disso, é possível consultá-la no site da CBLC (www.cblc.com.br) com seu código e senha.

É possível comprar ações da Bolsa de Nova York?

Pela Corretora do Banco Santander, não é possível investir na compra de ações da Bolsa de Nova York.

Como eu transfiro a minha custódia de uma corretora para outra?

A solicitação de transferência de custódia deverá ser solicitada à Santander Corretora, através das Salas de Ações. Para localizar a Sala de Ações clique aqui.

O que devo declarar no Imposto de Renda sobre a minha posição Bovespa?

O cliente deve utilizar, na sua declaração anual de Imposto de Renda, o extrato enviado pela CBLC em janeiro do ano corrente, referente à sua posição de dezembro do ano anterior.

Que informações são necessárias para investir no mercado de ações?

O primeiro passo é reunir conhecimentos técnicos que permitam uma compreensão mais clara do mercado de ações. Consulte nossa seção Cursos Online e saiba mais detalhes.

Qual o prazo mínimo recomendado para investir no mercado de ações?

O prazo mínimo recomendado pela Corretora do Banco Santander para investir no mercado de ações é de um ano.

Buscar no Glossário

ACESSO RÁPIDO

RSS Banco Santander
Portal de Investimentos